Dicas para comprar mídias

Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Os profissionais de marketing, atualmente, tem acesso há uma grande quantidade de dados, sejam eles próprios ou de terceiros, possibilitando a análise de clientes, mídias sociais e a fidelidade que as marcas despertam nos consumidores. Todos sabem da importância desses dados, assim aprendemos mais sobre os clientes, consumidores e suas preferências, mas como usá-los para melhorar a eficiência das campanhas? Como comprar mídia online de forma inteligente?

A TURN é uma empresa que ajuda marcas e agências globais a entender melhor os dados e a aperfeiçoar os esforços de marketing. Baseada nessas experiências, eles desenvolveram algumas dicas de como usar os dados para tomar decisões de compra de mídias mais eficientes. Veja sete considerações que ajudarão os “marqueteiros” de plantão a usar os dados da melhor forma possível e aumentar o desempenho de suas compras de mídia.

Dicas para comprar mídias
Dicas para comprar mídias

1. Trabalhe com um conjunto de dados precisos e completos (quando for possível):

Não é possível rastrear todas as suas compras de mídia, ainda mais por contar dos desafios, que é monitorar as mídias off-line, através de cookies nos navegadores online. Mas isso não significa perder os resultados off-line. O ideal é o conjunto de dados completo, mas as pequenas fatias de dados também podem ser sintetizadas em outras fontes de dados e usadas para descobrir informações valiosas que não estão na superfície.

2. Encontre uma métrica que funcione para você:

Eficiência é a meta em qualquer compra de mídia online, cada profissional e cada campanha de mídia tem objetivos únicos. É importante encontrar uma métrica que se relacione com a medição do valor de sua meta, mesmo que ela não pareça prática no online. Se o seu objetivo é aumentar as vendas, fica a dica: monitore as vendas por mil visitas de um site, ao invés de usar as métricas padrão, como custo por clique ou impressões de custo por mil. É essencial que o profissional de marketing entenda as métricas adequadas  ao crescimento de suas campanhas. Mesmo que você esteja tentando conseguir a conversão mais eficiente ou atingir os clientes mais propensos a responder às suas mensagens, é necessário uma métrica que correlacione com as ações complementares.

3. Reveja os custos associados a dados de terceiros:

Enriquecer os seus dados com os de terceiros pode ser algo bom, mas atenção, a eficiência da ação precisa compensar os custos de aquisição destes dados. Exemplo: suponha que você tem uma campanha cujo o público-alvo seja jovens de 18 a 34 anos, que dirigem um carro de luxo, fazem compras em lojas caras e assinam o New York Times. Adquirir dados como esses é totalmente possível, mas esta combinação pode custar muito caro. Uma campanha extremamente forte, com múltiplos alvos, pode elevar as taxas de conversões, mas pode não ser mais eficiente do que uma campanha básica padrão, pois essas taxas podem ser consumidores aleatórios e não o alvo desejado.

4. Teste constantemente o impacto de cada análise de dados para verificar e corroborar suas decisões:

Pequenos testes nas grandes decisões ajudam a manter o profissional no caminho certo, de acordo como as estratégias de compra de mídia evoluem. Exemplo: a sua agência decide adicionar mais um editor de conteúdo porque dados mostram que ele pode render uma melhor taxa de conversão. Realize testes com e sem este novo editor para saber se, realmente, ele irá agregar valor.

5. Um bom desempenho pode ser conseguido de várias formas:

Uma boa oportunidade de medir o desempenho de maneira diferente é aperfeiçoar os dados de compra de mídia. Com os dados, o profissional “dirige” certo tipo de consumidor a converter seu anúncio, contra uma conversão simples e orgânica. Exemplo: um publicitário que trabalha em uma empresa de Telecom pode usar os dados para direcionar um maior volume de conversões de cliente com forte pontuação de crédito. Esta informação permite aos publicitários e profissionais de mídia evoluir o desempenho de compra de mídia além da mera conversão aleatória para a conversão dirigida de um tipo específico de consumidor.

6. Seja paciente quando analisar as mudanças de resultados baseados em orientação por dados:

Leva tempo aperfeiçoar as campanhas tendo como base as percepções derivadas de dados e os resultados da análise. Veja se os dados são realmente cruciais para o seu negócio, determine o custo e tempo que você irá investir para achar estes resultados e dê a sua campanha a chance de provar ou refutar os dados.

7. Resultados negativos ainda assim são resultados e podem ser bons:

Todos gostam de resultados positivos, ainda mais quando se testa a validade de uma decisão baseada em dados. No entanto, os resultados negativos são tão importantes quanto. Identifique a ineficiência de uma campanha e eliminá-la é tão valioso quanto encontrar o que mais funciona.

Dicas valiosas são sempre interessantes, espero que elas te ajudem a ampliar a sua visão sobre os dados de mídias compradas. Abraços e até a próxima.

Fonte: Adnews

[et_bloom_inline optin_id=”optin_144″]

Escrito por
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Inscreva-se em nosso blog para receber nossos conteúdos por email

Guias

como vender mais com o funil de vendas

Inscreva-se em nosso blog para receber nossos conteúdos por email

Mais do meio

Quer receber mais conteúdos como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por e-mail e participe da comunidade da Leadlovers

Leadlovers Tecnologia
CNPJ: 22.799.684/0001-76
Rua do Semeador, 461 | CIC • Curitiba|PR • 81270-050
© 2015 – 2022 leadlovers